A Vila Madalena acabou?

Eu escrevi esse texto há um tempo, em FUROR CÍVICO. Agora que tenho um blog, publico-o aqui. E CHUPA KASSAB!

Noite de sexta-feira, tempo agradável, perfeito para ir pra rua curtir o que São Paulo tem de melhor, a vida noturna. Ou melhor dizendo, o que tinha de melhor. Pelo menos na Vila Madalena, o bairro sinônimo de balada ao ar livre, o que eu vi na noite de sexta foi no mínimo melancólico.

Quando comecei a sair de balada, lá pelos idos de 98, a Vila era um verdadeiro caos noturno (no bom e no mal sentido). Saía de busão lá do Jd. Monte Kemel com 10 reais no bolso e dava pra passar a noite tomando umas e jogando conversa fora nos botecos da Cardeal, com direito a queimar unzinho sem ser incomodado e ainda matar a larica no trailer do Hervi. E eu não era o único. As ruas, Cardeal, Mourato, Fradique, Wisard, Aspicuelta, eram tomadas por gente. Ambulantes vendiam seu goró nas esquinas, botecos colocavam as mesas na calçada e a democracia baladeira imperava.

Dez anos depois, mudei eu ou mudou a vila? Eu não mudei muito, afinal continuo querendo tomar minha cervejinha ao ar livre até a hora que eu bem entender, o difícil é achar um boteco aberto. Duas da manhã e somos expulsos do Mercearia São Pedro, os garçons desesperados para fechar logo e evitar uma multa. Resolvo descer a pé até a Mourato. Tirando as baladas e barzinhos pomadas que deveriam estar na outra vila, a Olímpia, tudo fechado. Ninguém a pé nas ruas. Muitos carros. Na Mourato, as luzes apagadas dos postes aumentam a sensação de Ghost Town. Entre a Inácio e a Cardeal, finalmente sinto a tão familiar marofa dos tempos idos, mas nada de rastas queimando um na caruda sentados na calçada. Na Cardeal apenas o Barbante, antigo bar do meio, que era o mais roots dos botecos e ganhou um banho de loja pomadinha, está aberto, cheio de gente aliás. Copo a Copo, Toldo Azul, Real, Seu Zé, todos com as portas baixadas.

Com certeza os moradores da região devem estar achando boa essa cruzada higienista antibaladeira do Kassab, aquele que é prefeito sem ninguém ter em nele votado. Mas, suprema ironia. Resolvo ir pra casa depois de ter conseguido tomar umas poucas no 24 horas da Fnac, que traindo o nome parou de vender goró depois das 4h. Passo pra comer um pastel na barraca que já está montada na mourato, atendendo a lariquentos como eu. Pego o busão na Cardeal pra ir pra casa. Ironia, moro na outra vila, a olímpia. E, na frente do meu prédio, claro, tem uma balada de boy. Essa o Psiu não fecha. Chego em casa e meu pai tá acordado, puto da vida, com a barulheira que vem da rua. Um bando de panaca bêbado gritando e fazendo merda na frente da balada. Por que será que eles podem e eu não? Mesmo no auge da doidera dos anos 90, a Madá era mais civilizada.

Anúncios

~ por pnoviello em 26/01/2009.

2 Respostas to “A Vila Madalena acabou?”

  1. Pois é, os bares a la vilompa não precisam fechar, né.
    Eles pagam “imposto extra”…

  2. hshshsh

    BLOGUEIRO ;D

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: